28 de nov de 2013

Ela

Totalmente incomum, magra de ruim e agitada por natureza, assim é ela.
Ás vezes louca, inconstante, irritante e chorona.
Passava pano na casa dez vezes ao dia mas só lavava os cabelos aos sábados.
Enchia a boca para falar de como o mundo era sujo, cheio de bactérias, mosquitos e doenças.
Sem compromisso com o horário a sua única obrigação era pensar, e como pensava.
Não entendia as pessoas, dos mais loucos aos normais, tudo era ameaça.
Morria de medo da internação, porém não se dava conta que o seu medo era a prisão.
Sem alta para ela mesmo, continuava amando demais, errando sozinha e alegrando os bobos que não entendiam que apesar de tudo ela é magnífica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário