10 de mar de 2016

Ressaca

Poxa! Ontem bebi muito e acordei com uma ressaca violenta... E ressaca sempre dá uma tristeza, e tristeza combina muito com você.

Prometi pela milésima vez que não vou mais beber. Mas dessa vez é sério. Beber é um prejuízo moral.

Os primeiros goles são sempre maravilhosos... Uma alegria surge devagarinho e vai tomando conta de tudo... O problema é que nunca paramos por aí. Tomamos mais e mais, até tudo ficar bem confuso e complicado, como a nossa história.

Calma, não quis te alfinetar. É que hoje estou sensível, meu humor está oscilando. Oscilando é uma palavra bonita, né?! Aprendi quando conversei com o Google sobre você.

Santo site! Me esclareceu tanta coisa... Inclusive sobre álcool. Até li sobre as falsas bebidas e os seus perigos.

Sabia que tem muita gente doente por ter ingerido álcool batizado?

Sei que é bobagem minha querer te alertar, você não tem medo dessas coisas, e nem deveria mesmo. O que são essas bebidas perto do seu veneno?! Nadinha.

E pensar que tantas vezes te tomei inteiro, sem medo algum. Foram doses e mais doses de beijos enormes e promessas curtas. Levei cada tombo e, mesmo assim, continuo te ingerindo. Hoje entendo o os alcólatras: é difícil abandonar até o que é ruim.

Ai!! Não precisa fazer essa cara. Já sei que misturei os assuntos novamente.

Minha cabeça voltou a doer, por culpa sua.

Vou fazer um café bem forte e, enquanto isso, você poderia me fazer o favor de ir embora e nunca mais voltar.

Chega dessa ressaca... disfarçada de amor!



Nenhum comentário:

Postar um comentário